Rui da Cruz Almeida

(1900 MA - 1956 RJ)
Principais Obras: Cooperemos Para a Boa LinguagemEm Defesa do Idioma (em colaboração com Pinheiro Domingues e Pedro A. Pinto)

 

 
Índices das Revistas Filológicas

A utilidade dos Índices

  

Para ficarmos em nosso país e nos fixarmos nos meados do século que acaba de findar-se, impõem-se duas palavras sobre a utilidade de uma pesquisa como esta para o grande público.

Apesar do título, a Revista Filológica, fundada, mantida e dirigida em sua quase totalidade por Rui Almeida, ultrapassa os limites da pura Filologia. Inserida na tradição da Revista de Cultura, do padre Tomás Fontes, abarca, entre outras ciências sociais, a História, a Etnografia, o Folclore, a Crítica Literária e a Crítica Estilística, a Lingüística Histórica.

Antes daquela, a partir dos anos dez, a carioca Revista de Língua Portuguesa, relativa ao idioma e literatura nacionais, dirigida por Laudelino Freire, experimentou longa existência e reuniu grandes nomes de nossas letras. Secundou-a, em S. Paulo, a Revista de Filologia Portuguesa, fundada e dirigida por Sílvio de Almeida, e continuada por Mário Barreto, com numerosa colaboração complementar de filólogos estrangeiros.

Nos anos dourados, a Filologia era o máximo na área das letras. Em sua segunda fase, a RF ombreou-se no gênero a, pelo menos, dois outros periódicos paulistas e um carioca. Antes dela, em 1953, o Jornal de Filologia, de  iniciativa da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, da Universidade de São Paulo. Em 1955, quando do número inaugural da 2.ª da RF, a Livraria Acadêmica, do Rio de Janeiro, iniciou a publicação da Revista Brasileira de Filologia, dirigida por Serafim da Silva Neto. Aquela livraria-editora chegou a manter a coleção Bivlioteca Brasileira de Filologia, que reuniu obras de importantes filólogos.da época. Depois dela, o Boletim da Sociedade de Estudos Filológicos, que chegou aos anos 60.

Neste fim de século, em que a Lingüística Histórica, ainda que em outros moldes, vem recuperando seu prestígio, os estudos diacrônicos retornam à ordem do dia. Sendo considerável a quantidade de vocábulos cuja história é estudada a fundo pela RF, tornou-se ela fonte utilíssima de consulta a todos os que se dedicam a esses estudos: professores de português, universitários da área de letras, comunicadores de todos os veículos de massa e especialistas nas ciências sociais. Como são pouquíssimas as bibliotecas públicas que possuem a coleção completa desse periódico – a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, por exemplo  –,  estes Índices se constituem uma ponte para futuras e eventuais consultas.

No l.º,  no Indice por exemplar, o interessado poderá “folhear” artigo por artigo de cada número, situando-o no tempo e examinando o prestígio das idéias do momento histórico, bem como a mobilidade e a evolução dos temas preferidos por seus colaboradores.

O 2.º, Índice de autores e colaboradores, oferecerá os assuntos e os dados de toda a colaboração prestada ao periódico por um determinado autor.

Finalmente, o 3.º, Índice por grupo de assuntos, possibilitará ao pesquisador o exame de todos os artigos sobre um determinado tema: Tupinologia, Folclore, Morfossintaxe, etc. Entre nós, é a primeira obra no gênero que se publica com esse triplo formato e utilidades. Bom proveito a todos os que dela se acercarem.

 

Índices das Revistas Filológicas

 

Introdução 

Indexador:
Antônio Martins de Araújo (UFRJ/ILL-LLP)

 

 

Índice das matérias por periódico

Índice das matérias por autor

Índice por grupo de assunto

Língua e Linguagem

     o     Confluência (em processamento)
     o     Litera / RJ (em processamento)
 
 

A utilidade dos índices