CURRICULUM  VITÆ MINIMUM

 

1.    Dados Pessoais:

1.1. Nome completo: Antonio Martins de Araujo

1.2. Filiação: Antonio José de Araujo
                Edith Raposo Martins Araujo

1.3. Nacionalidade/naturalidade: brasileira / maranhense

1.4. Data de Nascimento: 01 de agosto de 1932

1.5. Estado Civil: casado

1.6. Número de dependentes: 3 (três)

1.7. Residência: rua Guimarães Natal,  23 / 301
   Copacabana  -  22.011-090 - Rio de Janeiro - RJ -  BRASIL

1.8. E-mail: amaraujo@globo.com

2.    Graus:

2.1. Bacharel e licenciado em Letras Neolatinas
       Faculdade de Filosofia do Maranhão, 1953 e 1954.

2.2. Bacharel em Direito
       Faculdade de Direito do Maranhão, 1964.

2.3. Doutor em Letras Vernáculas
       Faculdade Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1986.

3.    Funções atuais:

3.1. Membro do Conselho Editorial da Revista do Centro de Estudos de Niterói, RJ;  da Perspectivas, da UNICEUMA, de São Luís, MA.; e da Revista da Academia Brasileira de Filologia, Rio de Janeiro, RJ.

3.2. Membro efetivo  do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (seção do Rio de Janeiro) e do Núcleo Internacional de Estudos Camonianos (NIEC / RJ).

3.3. Sócio efetivo da Academia Brasileira de Filologia; e sócio correspondente da Academia Maranhense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão.

3.4. Pesquisador da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Letras e Lingüística, ANPOLL, como coordenador do projeto Indexação das Revistas Brasileiras de Filologia do Século XIX vinculado ao Grupo de Estudos em Historiografia da Lingüística Brasileira, e elaborador dos Índices dos 35 números da Revista Filológica da Academia Brasileira de Filologia (RJ, 1940-1947/1955-1956).

4.    Ensino em universidades nacionais e estrangeiras (seminários e cursos):

 4.1. Escola Naval, Ilha de Villegaignon, Rio de Janeiro (graduação, Engenharia, Língua Portuguesa, 1967 / 1969).

 4.2 Fac. Letras / UFRJ (graduação e pós-graduação, Língua Portuguesa, 1980-1997).

4.3. Instituto de Letras da UFMA (extensão, 40 horas, O teatro de Artur Azevedo, julho de 1982).

4.4. UEMA, campus de Imperatriz (extensão, 20 horas, Artur Azevedo, a obra, novembro de l982).

4.5. Nanzan Catholic University, Nagoya, Japão (pesquisa, 20 horas, e conferência Breve Notícia da Ortografia Portuguesa - dos labirintos da scriptologia medieval aos prognósticos do próximo século, com trad. simultânea em japonês, 1989).

4.6. Univ. Est.  de Campos, RJ (mestrado, lato sensu, 40 horas, Metodologia da Pesquisa; Diacronia, Sincronia e Estilística da Lpuingua Portuguesa, nov. 1990 - fev. 1991).

4.7. Fac. Letras, do UNICEUMA (extensão, 20 horas, Teatro ocidental no século XX, março de 1998).

4.8. Fac. Letras, UEMA, S. Luis, MA (mestrado stricto sensu, 49 horas, Metodologia da pesquisa científica em Ciências Sociais, abril de 1998).

4.9. Fund. Sousândrade de Apoio ao Desenv. da UFMA  / Casa de Cultura Josué Montello, extensão, 20 horas, S. Luís, setembro de 2000.

5.    Bibliografia recente:

5.1.    Ensaística:

5.1.1. Prefácio do Dicionário de aplicação de provérbios portugueses com tradução em inglês e espanhol, da autoria de Clara M. Maruyama e Mikio Tomino. Tokyo, Daigakusyorin International Language Academy, 1990.

5.1.2. A Jornada do Maranhão (1614) - Estilo, morfossintaxe, ortografia e léxico. (205 verbetes sobre os arcaísmos). In Rev. da Academia Maranhense de Letras. S. Luís (MA), v. 73, n.º 7, maio 1992.

5.1.3. Artur Azevedo: homo politicus. In O teatro através da história. O teatro brasileiro. 2.º v. RJ, Centro Cultural do Banco do Brasil / Entourage Produções Artísticas, 1994.

5.1.4. Maranhão Sobrinho - um jogo de dados. In [Obra poética] de Maranhão Sobrinho. Rio de Janeiro / Brasília, Fundação. Biblioteca Nacional, 1995.

5.1.5. Noel Rosa — língua e estilo. Crítica estilística e crítica filológica. Em colaboração com o Prof. Dr. Castelar de Carvalho (Thec Edit. / Faculdades Estácio de Sá).

5.1.6. A vocação fluvial da literatura brasileira. Comunicação ao XXIX Congresso da Soc. Brasileira de Língua e Literatura. UERJ, julho 1998.

5.1.7. Para uma poética do conto de Arthur Azevedo. Introdução a Os Melhores Contos de Arthur Azevedo. SP, Global Editora, previsão de publ. Em agosto de 2001.

5.2.    Crítica textual:

5.2.1. Teatro de Artur Azevedo. Tomo I (676 p.). Com o ensaio A vocação do riso, bibliografia ativa e notas das variantes. RJ / DF, MinC / FUNARTE, 1983.

5.2.2. Teatro de Artur Azevedo. Tomo II (650 p.). Com o ensaio Para uma Poética de Artur Azevedo. RJ / DF, MinC / FUNARTE, 1985 (1.ª ed.) e 1995 (2. ª ed.).

5.2.3. Teatro de Artur Azevedo. Tomo III (534 p.). Com o ensaio Ao lado de Artur Azevedo. RJ / DF, MinC / FUNARTE, 1987.

5.2.4. Teatro de Artur Azevedo. Tomo IV (590 p.). Com o ensaio As mutações da comicidade. RJ / DF, MinC / FUNARTE, 1987.

5.2.5. Teatro de Artur Azevedo. Tomo V (622 p.). Com o ensaio Artur Azevedo: homo politicus. RJ / DF, MinC / FUNARTE, 1995.

5.2.6. Teatro de Artur Azevedo. Tomo VI (558 p.). Com o memorial Como nasceu o teatro de Artur Azevedo, e a Bibliografia passiva comentada de  A. A. (com 736 títulos). RJ / DF, MinC / FUNARTE, 1995

5.2.7. [Obra poética ] de Maranhão Sobrinho. In (p. 189-p. 277).  Anais de 1993 da Bibliotecas Nacional. Vol. 113.  RJ / DF, MinC / Fund. Bibl. Nacional, 1994.

5.3.    Lingüística/Filologia:

5.3.1. Portuguese hyphenation (com Toru Maruyama). In ACADEMIA, Journal of Language and Litterature, da Academic Society of Nanzan, Nagoya, Japão (1990).

5.3.2. A novissima acentuação portuguesa à luz dos antigos tratados portugueses. (com Toru Maruyama). In Estudos portugueses. Homenagem a Luciana  Picchio. Lisboa, DIFEL, 1991.

5.3.3. The orthographical utopy father's Luiz Antonio Verney in Verdadeiro metodo de estudar. (com Toru Maruyama) In ACADEMIA, Journal of Language and Litterature, da Academic Society of Nanzan, Nagoya, Japão (1993).

5.3.4. Breve notícia da ortografia portuguesa - dos labirintos da scriptologia medieval aos prognósticos do próximo século. Ensaio publicado em japonês, na Miscelânea Filológica n.º 14, da Academic Society of Nanzan, Nagoya, Japão; 1990; e, em português, na Miscelânea de estudos lingüíísticos, filológicos e literários in memoriam Celso Cunha. RJ, Nova Fronteira, 1995.

5.3.5. A relação grafema-fonema em Os Lusíadas. In. Atas do I Congresso Internacional de Estudos Camonianos. Rio de Janeiro, UERJ / SBLL, 1998.

5.3.6. A pronúncia quinhentista das vogais portuguesas à luz de nossos primeiros tratados ortográficos, palestra no Instituto de Letras, do Centro de Educação e Humanidades da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1998 (inédita).

5.3.7. Duarte Nunes do Lião e a saudade do latim. In Anais do Congresso Internacional Brasil – 500 anos de língua portuguesa. In. Atas do Congresso Internacional – Brasil 500 anos de Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, UERJ / SBLL, 1999. Será republicado na Revista Portuguesa de Humanidades, em fev. de 2001, vol. 4, fascs. 1 e 2 .

5.3.8. A querela entre filólogos e lingüistas. In Revista Philologus, do Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Lingüísticos  Rio de Janeiro, Ano V, n.º 13, jan. - abr. 1999, p. 17-23 (sem revisão do autor) e no Ano VI, n.º 16, jan.- abr. 2000, p. 7-13 (revisto e corrigido).

5.3.9. A  teoria e a prática literária de Gonçalves Dias. O Estado do Maranhão, 12/09/1999, publ. com o título A  língua de Gonçalves Dias. Será republicado integralmente na Revista Portuguesa de Humanidades, em fev. de 2001, vol. 4, fascs. 1 e 2 .

5.3.10. Sotero dos Reis e a língua. O Estado do Maranhão, São Luís (MA) 7/11/199.

5.3.11. Rui Almeida e a Revista Filológica. Introd. aos Índices da Revista Filológica. São Luís (MA), Revista da Academia Maranhense de Letras (a sair).

5.3.12. Celso Cunha, o filólogo, conferência  na Faculdade e Letras UFRJ, out. de 1996, aceito para publ. na Confluência, revista do Instituto de Língua Portuguesa do Liceu Literário Português, do Rio de Janeiro.

5.3.13. Filipe Franco de Sá, precursor da dialectologia brasileira, e o critério de autoridade, conferência na Casa de Cultura Josué Montello, São Luís (MA), set. 2000 (inédito).

5.3.14. Hemetério José dos Santos, o demolidor de preconceitos, conferência na Casa de Cultura Josué Montello, São Luís (MA), set. 2000 (inédito).

5.4.       Lexicografia:

5.4.1.    205 verbetes sobre os arcaísmos da obra A Jornada do Maranhão (1614), atribuída a Diogo de Campos Moreno. In Rev. da Academia Maranhense de Letras. S. Luís (MA), v. 73, n.º 7, maio 1992.

5.4.2.    8.000 verbetes (de a até alomorfia) do Dicionário da Língua Portuguesa (3.ª ed.) da Academia Brasileira de Letras. São Paulo, Civilização Brasileira, em preparo.

5.4.3. Índices da Revista Filológica e Lingua & Linguagem. (1. Por exemplar; 2. Por ordem alfabética dos autores; 3. Por áreas de assunto.) São Luís, Acad. Maranhense de Letras, 2.000 (em preparo).

5.5.    No prelo:

Os melhores contos de Arthur Azevedo. Seleção, Prefácio, Biografia e Bibliografia, na antologia das melhores histórias curtas  desse escritor (Global Editora, de São Paulo).

 


Penúltimo trabalho  efetivo para referências:Faculdade de Letras - Universidade Federal do Rio de Janeiro - Av. Brigadeiro Trompowski, s/n , Sala D-222 - 21.941-000 - Cidade Universitária - Ilha do Fundão (RJ) - Telefone: 55+(21) 590-0212 Ramal 224 - Tel.fax: 55+(21) 270-1696